Pasta/Processo BR RSTJRS RSTJRS 1G PORTO ALEGRE PCRIM 9001990940296 - Processo Crime – Rapto Violento ou Mediante Fraude (Preliminar)

Código de referência

BR RSTJRS RSTJRS 1G PORTO ALEGRE PCRIM 9001990940296

Título

Processo Crime – Rapto Violento ou Mediante Fraude

Data(s)

  • 2002-01-07 - 2003-08-15 (Produção)

Nível de descrição

Pasta/Processo

Dimensão e suporte

Gênero textual, 03 volumes, 443 folhas e 01 apenso

Fonte imediata de aquisição ou transferência

Âmbito e conteúdo

Número: 20504736273

No dia 04 de janeiro de 2002, o denunciado J.S.S.P. sequestrou o motorista e os passageiros da lotação linha Santana, na Av. Osvaldo Aranha em Porto Alegre. Seu objetivo era receber valores pela libertação dos reféns.
O réu embarcou no veículo e anunciou o assalto, rendendo o motorista com um revólver. Ele tinha um artefato similar a uma bomba caseira preso ao corpo com fita crepe. Ordenou ao motorista que dirigisse até o Banco Central, no Centro, mas foi impedido pela aproximação da Brigada, que furou os pneus do veículo. A lotação ficou parada na frente do Instituto de Educação.
J. exigiu 500 mil reais e um helicóptero para fugir, pela libertação dos reféns, o que alterou posteriormente para 300 mil reais e um carro forte. Durante as negociações, foram libertados 04 reféns em troca de alimentos e a substituição dos pneus do veículo. O réu se rendeu após 27 horas de sequestro. O ministério público solicitou a realização de incidente de insanidade mental.
As vítimas deram seus depoimentos, informando que o sequestrador dizia fazer aquilo pelo dinheiro, não queria tirar a vida de ninguém. Disse que não tinha dinheiro para comprar presente de natal e fraldas para seus filhos. Uma das vítimas, que foi liberada durante a ação, colocou um escapulário ao redor do pescoço de J., para sua proteção.
A ex-companheira de J. testemunhou dizendo que foi procurada por E.N.D, atual esposa de J., que lhe contou do sequestro, e que havia ajudado ele a planejar a ação para conseguirem dinheiro. E. nega que soubesse dos planos de J.
O réu foi recolhido ao Instituto Psiquiátrico Forense. A avaliação psiquiátrica do réu diagnosticou o réu com transtorno orgânico de personalidade, retardo mental leve e epilepsia.
O Ministério Público se manifestou, após a avaliação psiquiátrica do réu, pela sua condenação com a diminuição de pena prevista em lei. A juíza condenou o réu, e substituiu a pena-base de 14 anos de reclusão por medida de segurança (internação) pelo tempo mínimo de 3 anos.

Avaliação, selecção e eliminação

Processo de Guarda Permanente – Interesse Histórico

Ingressos adicionais

Sistema de organização

Condições de acesso

Condiçoes de reprodução

Idioma do material

  • português do Brasil

Script do material

Notas ao idioma e script

Características físicas e requisitos técnicos

Documento em boas condições, no geral. Alguns amassados e rasgos nas bordas.

Instrumentos de descrição

Existência e localização de originais

Existência e localização de cópias

Unidades de descrição relacionadas

Descrições relacionadas

Nota

Processo contém os bilhetes entregues à polícia com as negociações do sequestrador com a polícia, notícias de jornais sobre o fato, e fotos da perícia.

Identificador(es) alternativo(s)

Pontos de acesso - Assuntos

Pontos de acesso de género

Identificador da descrição

Identificador da instituição

Regras ou convenções utilizadas

Estatuto

Nível de detalhe

Datas de criação, revisão, eliminação

Línguas e escritas

Script(s)

Fontes

Zona da incorporação